A Morte do Humanismo, Graças a Deus!

A Morte do Humanismo, Graças a Deus!

“Um questionamento: por que, hoje em dia, aquele que sabe não é mais sábio? Curiosamente percebe-se que a ciência moderna quase nunca significa aquele clássico conceito de sabedoria em que o saber busca um sentido de plenitude de consciência, uma visão da totalidade do mundo. Fato é que o saber deixou de significar sabedoria quando o conhecimento adquiriu outro fim que não sua própria totalidade. Essa mudança surgiu quando o ser humano – a partir de Francis Bacon e assegurado pelo paradigma científico de Descartes e Newton – fragmentou a realidade em duas partes separadas: o homem e a realidade natural; o observador e a objetividade do mundo externo a ser conhecido. Depois da afirmação pragmática de Bacon, segundo a qual “conhecer é poder”, aquele que sabe não é mais sábio. O verbo latino sapere significa literalmente “saborear”, ou seja, experimentar pessoalmente, vivenciar a realidade como partícipe dela. Todavia, hoje conhecer algo é dominá-lo (“eu domino psicologia, geografia etc”), o que está longe de significar um exemplo vivo do que sabe. É por isso que, como se diz hoje, na prática a teoria é outra…”

A morte do humanismo, graças a Deus!

Download